Título da Redação: ENCLAVES

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há mais de 2 anos por LEANDRO NASCIMENTO


Camarotes ou áreas “VIP'S” são espaços exclusivos que separam pessoas que podem pagar pelo luxo, pelo conforto, pela segurança, das que não podem; portanto, são espaços que segregam classes econômicas. Os camarotes não são apenas encontrados em festas, baladas ou eventos sociais, mas também na vida cotidiana. Essa camarotização da sociedade brasileira é bem visível nas universidade públicas – na dificuldade de acesso a pessoas de baixa renda – e nos bairros ricos das regiões metropolitanas.
Desde quando os primeiros colonos chegaram ao Brasil, por volta de 1530, para a implantação das lavouras de cana-de-açúcar, houve uma distinção entre o dono da propriedade e os seus empregados. A “casa grande” com todo o seu luxo, conforto, segurança era um típico camarote que segregava o senhor de engenho e sua família dos escravos e dos capatazes. Essa distinção sempre foi muito marcada pela elite brasileira e podemos observar até hoje que onde mora o rico, não mora o pobre.
Exemplo dessa divisão entre ricos e pobres são os bairros nobres, em particular, os condomínio fechados que são verdadeiras áreas “VIP'S” do mundo imobiliário. Nesses enclaves fortificados não há violência, a pobreza não é percebida e a vida segue como um filme de Hollywood. Na verdade, são redomas de luxo em meio ao caos.
Além disso, a camarotização se dá também nas universidades públicas. Universidades que de pública só têm o nome, pois não garante o acesso a todos os cidadãos e desde que foram fundadas só atinge as classes mais abastada da sociedade. Um exemplo clássico é a Faculdade de Medicina da USP, uma faculdade “pública” extremamente elitizada, que chega ao seu centenário com políticas de inclusão social muito fracas. Na verdade, a “medicina USP” foi e continua sendo um camarote da sociedade paulistana.
No mais, o sistema capitalista favorece a separação entre ricos e pobres e a formação dos “camarotes sociais”, pois esse sistema só sobrevive operando com a desigualdade, com a exclusão, com o privilégio e com a carência. Portanto, como o mundo vive e respira o capitalismo é muito difícil a mudança desse quadro. Mas, se há alguma possibilidade de atenuar a desigualdade e, consequentemente, diminuir a camarotização na sociedade é com a distribuição de renda e com a educação.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Sirleide Almeida

    Você apresenta domínio mediano do texto dissertativo-argumentativo, atendendo, de certa forma, à estrutura exigida com proposição, argumentação e conclusão. No entanto, lembre-se de que o texto dissertativo-argumentativo é todo organizado em defesa de um ponto de vista, sobre determinado assunto. É fundamentado por argumentos, a fim de influenciar a opinião do leitor ou ouvinte, tentando convencê-lo de que a ideia defendida está correta. Sendo assim, ele deve expor e explicar ideias. Daí a sua dupla natureza: é argumentativo porque defende uma tese, uma opinião, e é dissertativo, porque se utiliza de explicações para justificá-la. A falta de posicionamento consistente, já, no início do texto, prejudicou a sua argumentação. Sugiro que acrescente leituras feitas sobre o assunto, tente demonstrar um pouco do repertório sociocultural adquirido durante sua vida estudantil. Demonstre que possui conhecimento aprofundado sobre as ideias apresentadas. Quero também comentar que articula as partes do texto, de forma mediana, com desajustes e repertório pouco diversificado de recursos coesivos. Isso é evidenciado, principalmente, entre os parágrafos que se caracterizam como sequências justapostas de ideias sem os devidos encaixamentos sintáticos. Por fim, elabora uma vaga proposta de intervenção, sugiro que busque propostas mais detalhadas, específicas ao seu ponto de vista, consistentes e articuladas com o desenvolvimento de suas ideias. Ademais, continue se esforçando para alcançar seus objetivos. Bons estudos!

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás