Título da redação:

Redação sem título.

Tema de redação: Preservação do Patrimônio Histórico Cultural brasileiro

Redação enviada em 11/05/2019

No filme cinematográfico da Marvel, Thor: Ragnarok, o deus nórdico do trovão, ao ver um cenário de caos em que seu mundo se encontrava, luta arduamente a fim de preservar a cultura histórica do seu povo. Fora da ficção, nota-se que o pensamento de Thor se distancia da realidade brasileira, uma vez que, hodiernamente, o país enfrenta um cenário de caos acerca do seu patrimonio e pouca se mobiliza para a sua preservação. Com isso, surge a necessidade de se conhecer sobre os meios necessários para reverter tal panorama. A piori, cabe pontuar que a questão governamental e a sua atuação esteja entre as causas do problema. Embora venha sendo desenvolvidos projetos legislativos de cunho protecionista, como a regulamentação da Lei Rouanet, que tem por objetivo patrocinar produções artísticas e culturais, ainda não se tem no país um incentivo legal ao acesso cultural, visto que, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA, 50% dos brasileiros nunca foi a um museu na sua vida e um dos principais propulsores para isso é o desconhecimento dos locais artísticos nas suas cidades. Com essa barreira existente na vida de milhares de pessoas, um dos desafios que nasce é a falta da preservação patrimonial. Por outro lado, a falta de debates entre a população atua concomitantemente à problemática. Para Talcott Parsons, a família é uma maquina que reproduz as personalidades humanas, ou seja, é no meio em que o indivíduo se encontra inserido que surge as suas características sociais. Para tanto, atualmente, no Brasil, as famílias se omitem em debater à questão da preservação cultural, pois, de acordo com dados do Movimento Todos Pela Escola, apenas 12% dos pais estão dispostos a dialogar com seus filhos sobre os assuntos sociais — nesse caso, o reforço da prática cultural. Ora, se a população se auto silencia vis-à-vis à problemática, entende-se, assim, a sua continuação. Em face dessa realidade, faz-se mister uma solução para esse impasse. Com esse intuito, caberá ao Ministério da Educação desenvolver campanhas na mídia, instituindo debates no intuito de alertar a população da importância existente entre a sociedade e o seu histórico. Posteriormente, caberá ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o IPHAN, aliado aos estados nacionais, mostrar as atrações culturais das cidades objetivando o interesse popular e, consequentemente, a mobilização social em preservar o patrimonio histórico brasileiro, revertendo o pensamento contrário ao do personagem Thor.