Título da Redação: Segregação de classes: dos deveres do Estado à camarotização da sociedade

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por Gustavo Simião


Ao longo dos anos, as desigualdades sociais no Brasil vêm aumentando em proporções alarmantes, umas vez que, o dinheiro está separando os lugares que os burgueses e os desafortunados podem freqüentar, como um Apartheid.
Muitos cientistas, como o geógrafo Milton Santos, vêm abordando em seus estudos a dinâmica e as causas desses movimentos, adjetivados pela discrepância de renda entre as famílias brasileiras.
O Estado possui como função principal, trabalhar o bem-comum, entretanto, não é isso que está ocorrendo desde os tempos do início do liberalismo, pois o mesmo esquece seus reais deveres e os passam a terceiros, ou seja, para empresas que a partir desse momento irão ditar onde os investimentos públicos serão distribuídos, afetando assim, toda população menos privilegiada, mantendo-os para sempre no mesmo status quo.
As famílias mais abastadas socialmente, por diversos fatores vêm sentindo-se menos seguras quando habitam mesmos ambientes que pessoas não favorecidas historicamente, caracterizando dessa maneira, a divisão ou camarotização dos espaços dentro das cidades, até mesmo os locais públicos.
Dessa forma, é possível prever sociologicamente, a contínua segregação entre classes, além do mais, a possível crise democrática entre pobres e ricos, onde estes querem manter seus privilégios e aqueles querem seus direitos garantidos.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    A argumentação se mantém na superfície, não há aprofundamento na discussão do tema. Os parágrafos passam a impressão de estarem soltos, visto que não são articulados de modo a tornar o texto um todo orgânico. Há problemas de acentuação e pontuação. Atenção para o uso equivocado da expressão "o mesmo", utilizada como retomada para "Estado" no terceiro parágrafo. Ademais, o texto não apresenta proposta de intervenção capaz de contribuir para a resolução do problema.

  • Enviado por Luize Santos

    A tese foi excepcionalmente defendida . O desenvolvimento foi bem argumentado. Apenas uma ressalva para erros de pontuação e falta da proposta de intervenção. Na conclusão não se acrescenta ideias como em '' além do mais, a possível crise democrática entre pobres e ricos...''

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás