Título da redação:

Abusos em trotes universitários

Tema de redação: Trotes universitários

Redação enviada em 25/07/2015

Depois de muito tempo se dedicando ao concorrido vestibular, o estudante finalmente ingressa na universidade e a grande maioria aguarda, com muita expectativa, pela primeira semana de aulas, na qual ocorrem os conhecidos trotes. Todavia, o que deveria ser um momento de confraternização entre veteranos e calouros, vem se tornando uma forma de propagar a violência. Considerado um ritual de passagem, o trote universitário existe há muito, mas nem sempre possuiu as mesmas motivações. Sua origem remonta à Idade Média na Europa, quando os calouros eram convidados a raspar suas cabeças, a fim de evitar a propagação de certas doenças, comuns naquele período. No Brasil, tiveram início no século XIX, com a vinda da Família Real e a consequente chegada das primeiras universidades. Entretanto, não tardou a ocorrer o primeiro trote violento, que culminou em morte, ainda durante o período imperial. Por outro lado, a violência durante essas confraternizações pode acarretar danos à saúde física e mental do indivíduo - desde hematomas a problemas mais graves, como depressão - que não raro sofre ameaças caso se recuse a participar. Os que se recusam muitas vezes são impedidos de ir às festas da faculdade, além das frequentes cenas de humilhação sofridas na própria instituição. Prova disso é o que ocorreu com o acadêmico de medicina Luiz Fernando, que precisou abandonar a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto por não aguentar as perseguições sofridas pelos veteranos. Logo, é inadmissível que uma prática tão vergonhosa continue privando acadêmicos de concluir o curso almejado. É importante que, de imediato, as universidades promovam o recrudescimento da pena para aqueles que praticarem o trote violento, através da expulsão do indivíduo a fim de aos poucos minar essa ação. Além disso, é fundamental que, a longo prazo, as comissões universitárias responsáveis pelo Trote Solidário, projeto que busca humanizar esse evento através do voluntariado, incentivem outras instituições acadêmicas a fazer o mesmo, através de campanhas que demonstrem a importância de tal mudança.