Título da redação:

A concepção de família como fruto do progresso

Tema de redação: Evolução do conceito de família

Redação enviada em 31/07/2015

O desenvolvimento do processo civilizatório ocidental modificou a estrutura familiar de maneira a adaptá-la aos paradigmas da contemporaneidade. A contraposição de ideais conservadores e progressistas a respeito do conceito de família tem desenvolvido conflitos que abrangem a institucionalização, pela esfera pública, de novos modelos familiares, por intermédio da legislação vigente; e a aceitação social destes modelos, dificultada pela tradição cristã ocidental brasileira, e isso se reflete no cotidiano daqueles que sofrem com as imposições dessa tradição. A expansão das liberdades individuais, os progressos decorrentes das lutas pela plena emancipação feminina, os ideais progressistas de tolerância e o desenvolvimento tecnológico alteraram sobremaneira a estrutura familiar, de modo que o conceito de casal como núcleo da família brasileira adotado pela Constituição Federal de 1988 hoje é interpretado não somente como aquele formado por uma pessoa do sexo masculino e uma do feminino, mas por casal de pessoas de qualquer sexo, gênero ou orientação sexual que como família deseja ser reconhecido. Atualmente, o casamento civil é, portanto, permitido a casais que não se enquadram no conceito tradicional de família. Os movimentos contrários e intolerantes têm agido com violência contra tal modificação da concepção de família pela jurisprudência dominante, o que dificulta o processo de criminalização da homofobia, já que esse discurso intolerante tem sido reiterado por parte significativa da população, influenciando a ação dos legisladores. Os direitos de votar, se divorciar e estudar, que passaram, ao longo do tempo, a ser reconhecidos às mulheres, levaram-nas à construção de novos tipos de lar, formados por mães solteiras, divorciadas ou que se dedicam ao trabalho fora de casa, sendo estas levadas à decisão de engravidar em idade mais avançada, após a construção de sólida carreira profissional. Tais modificações no núcleo familiar, fomentadas pelas novas tecnologias de fertilização, pela expansão da informação a respeito de métodos anticoncepcionais e pela militância feminista, também têm sofrido com a resistência de grupos machistas e reacionários. Portanto, a partir dos fatos e argumentos supracitados, conclui-se que a modificação da concepção de família é uma das facetas do progresso da civilização ocidental, que tem, em seu fundamento, princípios de tolerância e respeito ao diferente que devem ser reforçados tanto pelo indivíduo quanto pelo poder público, através de campanhas públicas e modelos educacionais que os reafirmem e pelo zelo à segurança daqueles que sofrem com as imposições do tradicionalismo reacionário. Dessa maneira poderemos construir um país mais tolerante, próspero e fraterno.