Título da redação:

Redação sem título.

Tema de redação: O cenário do mercado de trabalho no Brasil

Redação enviada em 03/03/2016

Para enfrentar e alterar o índice de desemprego (ou qualquer crise) o governo costuma adotar medidas superficiais e demagógicas como a criação de programas de preparação profissional, benefícios sociais para pessoas em situação de fragilidade econômica e até mesmo a criação de empregos artificiais. Há três caminhos básicos para o brasileiro que deseja auferir lucro financeiro, quais sejam: empreender, vender sua mão de obra ao setor privado ou se tornar funcionário público. Entretanto, hodiernamente, todas são atividades ingratas, como será demonstrado. O cidadão que pensa em empreender esbarra na burocracia e no protecionismo governamental (agências reguladoras) que garante a supremacia de grandes empresas e impede que a concorrência surja; quem deseja adentrar no mercado de trabalho tem seu caminho bloqueado pela engessada legislação trabalhista, que onera excessivamente o empregador e torna economicamente inviável a contratação de mão de obra sem alta qualificação e experiência, impedindo que jovens ingressem no mercado de trabalho; por último, aqueles que almejam um cargo público precisam investir um longo tempo preparando-se para uma prova, preparação essa que consiste em decorar trivialidades relativas a alguma legislação e que, caso não passem, de nada servirá para o mercado de trabalho no setor privado. O índice de emprego e desemprego é apenas um sintoma referente a saúde da economia, e não um dado finalístico. O governo até pode cumprir sua promessa e criar empregos e demandas artificiais, seguindo os ensinamentos de Keynes, mas fazer isso equivale a enxugar gelo. Observando todo o supracitado resta claro que as medidas adotadas pelo governo objetivam corrigir uma falha nascida da aplicação de outras medidas governamentais: protecionismo a grandes cartéis, legislação trabalhista abusiva e engessada, grandes estímulos ao ingresso na carreira pública e criação artificial de demanda. Sob essa ótica, a solução para recuperar a economia e gerar empregos que de fato criem riqueza para a sociedade não está em alguma ação do governo, mas sim no oposto disso.