Título da redação:

Como evitar a importação de mão de obra para o brasil?

Tema de redação: As dificuldades enfrentadas pelos jovens no processo de inserção no mercado de trabalho

Redação enviada em 13/06/2017

Nos anos de 1900 o modo de produção em massa da época - o Fordismo - , não exigia a especialização dos trabalhadores nas fábricas. Com a evolução da logística trabalhista e o crescente fenômeno da globalização, os indivíduos do século XXI precisam, para adentrarem no mercado de trabalho, serem portadores de inúmeras exigências que ainda estão fora da realidade juvenil brasileira. É valido lembrar que a globalização é responsável pelo aumento no intercâmbio cultural e científico no mundo. Com isso, as empresas buscam funcionários que se diferenciem profissionalmente e se destaquem com maior domínio da área. No entanto, o sistema educacional brasileiro ainda não consegue preparar o jovem para essas exigências do mercado de trabalho. Problemas como a falta de investimentos na educação, falhas estruturais e desvalorização dos educadores impossibilitam a formação de jovens especializados e resultam na importação de mão de obra estrangeira, prova disso é que em 2012 o Ministério do Trabalho e Emprego concedeu 73 mil vistos no país. Ademais, outro obstáculo está na saturação de profissões ocasionada pela falta de preparação do setor empresarial com relação ao aumento da expectativa de vida dos brasileiros, refletindo em altos índices de desemprego da população jovem. O envelhecimento da sociedade, no Brasil onde a taxa de natalidade esta em decaimento, faz com que a idade mínima para a aposentadoria seja prolongada. A junção dos fatos citados anteriormente e a ausência de novas vagas ofertadas resultam em uma competição do grupo juvenil contra adultos e idosos que possuem anos de experiência e currículos exemplares. Em função disso, o Governo Federal deve reestruturar o sistema educacional por meio de medidas, como a Reforma Nacional do Ensino Médio, que busquem priorizar além do estudo da grade de conhecimentos básico comuns, o estudo de áreas de atuação profissional que o estudante desejará atuar futuramente. Além disso, deve-se retomar investimentos em educação, como o Ciência Sem Fronteiras, que permite a experiência de graduação e pós-graduação no exterior, enriquecendo o aluno com conhecimentos internacionais. Para mais, as empresas devem considerar o envelhecimento da população e mediante a geração de novas vagas de emprego impedir a saturação do mercado de trabalho.