Título da Redação: Diversidade seja louvada

Proposta: A intolerância religiosa no Brasil

Redação enviada há quase 3 anos por Aline Komatsu


O Homem, desde os primórdios, adotou a fé como forma de guiar sua vida. O Brasil, assim como a maioria dos países, adota o calendário cristão, provando que a religiosidade tem grande importância até hoje. A predominância da crença baseada em visão eurocêntrica e ocidental fez com que a aceitação de outros dogmas fosse deixada para trás. Abria assim espaço para a aversão e violência contra várias crenças. É o mundo da intolerância.
Uma menina de 11 anos e outras sete pessoas voltavam de um culto religioso quando foram apedrejados e insultados por dois homens com Bíblias. O motivo da agressão foi o fato do grupo ser praticante de Candomblé. Esse caso não é isolado, já que só em 2014, o Disque 100 registrou 149 denúncias de discriminação religiosa no País. As principais vítimas eram de matriz africana, como Candomblé e Umbanda.
O problema tem raiz histórica. No período colonial, os jesuítas tinham a missão de catequizar os índios, aumentando o número de fieis no Novo Mundo. Os nativos tiveram de abandonar não só suas crenças, mas também seus costumes, sendo grande a perda da riqueza cultural do Brasil, tanto material como imaterial. Assim, aqueles que eram ateus ou seguiam outras crenças sem ser a católica passaram a ser discriminados socialmente, vistos de forma inferior. Religiões pouco difundidas começaram a ser vistas com estranheza e medo, associadas ao demônio. Isso alimentou a intolerância que existe hoje porque a religião passou a ser qualificador de pessoas.
A Constituição da República Federativa do Brasil, em seu artigo 5, inciso VI, preceitua que é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias. Atitudes agressivas, ofensas e tratamento diferente em relação a alguém devido a sua crença ou não crença é crime inafiançável.
Pouco se repercute na mídia sobre o assunto. Só quando casos graves acontecem, o tema vem a tona. Isso não significa que no cotidiano, situações aparentemente inofensivas como piadas sejam princípio da intolerância. Para combate-la, o conhecimento sobre a diversidade deve ser divulgada. Líderes religiosos devem ensinar seus fieis a tolerar o próximo, a escola deve trazer em sua grade o estudo sobre as diferentes religiões e o Estado deve fiscalizar rigidamente e punir os criminosos. A mídia deve repercutir sobre a questão para que mais denúncias sejam feitas e que assim, concretize o país justo e próspero que os cidadãos esperam.

Receba 48 redações corrigidas por apenas R$ 18 por mês *
Clique e conheça nossos planos

* Valor equivalente por mês para o Plano Anual.

Últimos Vídeos no Youtube

Clique aqui e inscreva-se no nosso canal

Img

Como driblar os desafios da liberação do porte de arma - Tema de redação para o ENEM

Img

A questão da fome no Brasil e seus fatores motivadores - Tema de redação para o ENEM

Img

Dicas de gramática: Colocação pronominal

Img

5 Possíveis Temas de Redação para o ENEM 2018

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás