Título da Redação: Respeito: Princípio para pôr fim à ramificação social

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por Vestibulanda


Entende-se por camarotização, a segregação entre ricos e pobres no âmbito social. Desde os tempos mais remotos, nota-se que essa divisão se estende por todo o mundo e envolve, principalmente, países emergentes. Esse fenômeno é considerado um neologismo que se torna cada dia mais colossal. Diante da grande pluralidade cultural, étnica e social, essa separação é evidente, principalmente, quando duas ou mais pessoas não aceitam a igualdade social ou, muitas vezes, quando se sentem superiores quanto à sua condição financeira.
Esse tipo de ramificação contribui para o preconceito e discriminação, visto que, são pessoas que procuram ser isoladas e criam muros de acordo com seus privilégios. Existem inúmeros fatores que impulsiona essa anomalia social, entre eles, destaca-se o capitalismo em que há uma verdadeira guerra entre ricos e pobres , ou seja , existem coisas para os menos e para os mais favorecidos. Para os pobres, estão os ônibus sujos, velhos e lotados, as péssimas condições nas escolas públicas, precário sistema de saúde, entre outros. Já para os ricos, estão os carros de última geração, excelentes hospitais particulares e boas escolas.
Entretanto, quando se trata do ensino superior, a situação é totalmente inversa, isto é, uma parcela significativa de pessoas de classe média alta estão ingressando em universidades públicas e as de classe média baixa em faculdades particulares. Isso não é bom para a democracia e, nem para o desenvolvimento do país, visto que as oportunidades e qualidades na educação devem ser iguais para todos.
Portanto, depreende-se que é de extrema importância urgir uma ação conjunta entre o Estado e a sociedade para que todas as pessoas reconheçam que são iguais, independentemente de cor,raça,religião ou classe social. É necessário também, que as pessoas mesmo com contextos e condições diferentes convivam na vida cotidiana respeitando as diferenças. Ademais, orgulho e preconceito não leva ninguém a lugar algum, apenas desqualifica seres humanos.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    A argumentação é boa, apesar de colada aos textos motivadores e confusa em algumas partes. O candidato deve atentar-se para o uso da linguagem coloquial, que empobrece o texto. Atenção também para o uso equivocado de algumas palavras (como "neologismo" no primeiro parágrafo). Além disso, a proposta de intervenção está vaga. Sugere-se uma ação conjunta entre Estado e sociedade, sem explicar que ação seria essa. É sempre importante, em se tratando de uma proposta de intervenção, que o candidato pense em quem vai fazer e como vai fazer, além de diversificar os agentes (qual o papel da família, da igreja, da escola e de outras áreas sociais para a resolução do problema?). De resto, o candidato demonstra bom domínio da modalidade escrita padrão e do tipo dissertativo-argumentativo.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás