Título da Redação: Realidade defasada

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há mais de 1 ano por usuário anônimo.


Na sociedade brasileira, é notória a separação entre as pessoas e seus estilos de vida. Desde antes do surgimento do capitalismo como sistema financeiro, o Brasil presencia uma certa segregação. O status ocupado pelo colono, na época colonial, foi um predicto da estratificação social que se faria vigente no país, no qual os cidadãos são classificados em classes, de acordo com suas condições financeiras.
A distinção entre os estratos são claras em incontáveis situações, festas, hospitais e escolas. Dessa forma, o constante processo de “camarotização” social deixa evidente uma relevante falha na democracia, em que todos devem gozar dos mesmos direitos, sejam eles na educação, alimentação ou lazer. Portanto, o passar do tempo acelera o processo de separação das realidades entre os brasileiros, visto que os locais frequentados por diferentes esferas civis são cada vez mais distintos. Logo, o contato entre diferentes convívios é prejudicado e a fusão dessas, essência da cultura brasileira, se compromete. Assim, vão surgindo cada vez mais gerações que não sabem coexistir com seus iguais, se distanciando e atuando para o fator do aparte entre um mesmo povo.
Ademais, é importante destacar que a divisão de uma nação em diversos fragmentos sociais influencia o estranhamento entre esses e gera uma espécie de xenofobia disfarçada conivente com o preconceito. Outrossim, a relação entre classes sobre e subjacentes expressa maior contraste entre elas quanto maior for o distanciamento. Sendo assim, a sensação da existência da relação casa grande/senzala, que deveria há muito ser eliminada, demasiadas vezes é reforçada. Isto posto, aliado ao preconceito, determina a inferiorização de um grupo de pessoas que deveriam possuir condições semelhantes.
Destarte, a inclusão no cenário brasileiro deve ser incentivada. O Ministério da Saúde deve trabalhar para oferecer as mesmas condições de saúde entre pobres e ricos. Por consequência, o mesmo deve ser feito pelo Ministério da Educação: oferecer infraestrutura e condições para que diversas classes frequentem a mesma escola ou universidade. Também, nas escolas e famílias deve existir o diálogo com as crianças de modo a incentivar o respeito a colegas de condição diferente da sua. A distinção por cor, raça ou condição financeira é defasada e deve ser erradicada.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás