Título da Redação: Póstero de igualdade

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há mais de 2 anos por Ká Menezes


A segregação espacial ou geográfica é uma questão aquém da efetiva democracia. Para além disso, a "camarotização" demarca o padrão do poder aquisitivo para estar em determinado local. Seguindo essa lógica, causa sobretudo, uma desigualdade social, portanto, o sistema político brasileiro está frágil e deficiente.
Donatários, senhores de engenho, cafeicultores, bancários: a segregação das classes sociais no Brasil é remota tendo sua gênese na colonização. Dessa conjuntura resulta a estrutura social contemporânea, com a "camarotização" das escolas, terras, estádios, bairros, e eventos culturais. Isso atua como um gargalo para a igualdade social do país. Sob essa ótica, a organizacão regente foi o princípio da isonomia democrática.
A estratificação social vem acompanhada pelo sucateamento dos serviços públicos e da distribuição desigual das oportunidades, que envolve emprego, renda e educação. Assim, a organização contemporânea brasileira se delineia pelo o fator econômico, gerando uma hierarquia entre os cidadãos que urge ser sanada.
Para Aristóteles, todos são absolutamente iguais entre si. Ampliando essa ótica, para atenuação da estratificação social é importante a redução da desigualdade social, gerando oportunidades reais para seus cidadãos, diminuindo os problemas sociais e o fortalecimento da democracia. Assim, a segregação de classes sociais estará distante da Pátria Amada.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

Não existem comentários. Seja o a comentar neste texto.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás