Título da Redação: O valor do ser humano

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há mais de 2 anos por Lorenna Ramos


A camarotização é um fenômeno cada vez mais presente na sociedade brasileira. Nas casas de festa, shows e ginásios esportivos, por exemplo, há espaços diferenciados para aqueles que se dispõe a pagar um valor maior. Apesar disso acentuar a desigualdade social presente no país, é direito de cada um gastar com o que melhor lhe convém. O problema é quando os serviços disponíveis para os que têm menores condições financeiras são precários, sem qualidade.
Uma das consequências que isso pode causar é o despertar de sentimentos de inferioridade e de humilhação nas pessoas mais pobres. A exemplo disso, enquanto os ricos recebem atendimento médico de qualidade em hospitais particulares, os pobres morrem nas filas de espera do SUS e pronto socorro. Ou seja, além de separar fisicamente as pessoas de acordo com a classe social a qual pertencem, cria-se a ideia de que o poder aquisitivo que determina o valor do ser humano.
Além de ir contra o ideal da democracia, a qual expressa que todos somos iguais, essa ideia traz como desdobramento a violência e o crime, pois muitos marginalizados passam a usar meios ilícitos para obter os mesmos privilégios que os mais abastados têm acesso, como a classe política que, hoje, são os mais bem pagos no país. O tráfico de drogas, por exemplo, é um mercado que movimenta milhões de reais, dando condições financeiras elevadas para os traficantes.
Portanto, é preciso que os serviços públicos tenham a mesma qualidade que os particulares, de modo que todos, independente da classe social, queiram utilizá-los. Assim, frequentar camarotes em locais de lazer não será um fator a mais para segregar a sociedade, pois ricos e pobres frequentarão os mesmos espaços para atender suas necessidades básicas, como educação e saúde. Porém, para que isso ocorra, é preciso que haja uma vinculação, por meio de lei, entre os serviços públicos e quem os administra, ou seja, políticos e governantes. Com caráter obrigatório, aqueles que têm o dever de melhorar e investir em tais serviços, também devem utilizá-los.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Heloisa Ribeiro Rodrigues

    Caro aluno, você teria um domínio excelente da modalidade formal da língua, não fossem alguns erros graves que o comprometeram. O mal uso de vírgulas, hífen, colocação pronominal e, principalmente, erros de concordância - que são considerados graves - são pontos que precisam ser estudados com mais urgência. Além disso, em termos de coesão e conteúdo, a minha sugestão é: fuja da oralidade. Proferir sentenças como: "O problema é QUANDO..." e usar, excessivamente, pronomes demonstrativos, denota uma escrita imatura, inadequada em uma dissertação formal como essa. No mais, a sua conclusão ficou bastante satisfatória. No entanto, elabore-a mais nas próximas redações, pois, embora tenha ficado organizada e inteligente, é preciso que as propostas de INTERVENÇÃO sejam mais claras. Diga, por exemplo, COMO esses serviços públicos se tornariam mais igualitários e através de quais leis. Você tem potencial! Estude os tópicos citados e continue praticando! Grande abraço, Heloisa.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás