Título da Redação: O capitalismo e a camarotização elitista

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há quase 3 anos por Marina Oliveira


Maior poder de compra, ascenção socioeconômica de classes populares. Os pobres começam a ter mais acesso ao capital, enquanto os ricos segregam-se receosos frente à "invasão dos novos burgueses". As elites estabelecem-se em seu camarote social, excluindo os que não gozam dos mesmos privilégios. O retrato da sociedade pós- Revolução Industrial torna-se uma contradição à própria definição de democracia. Mas que democracia é essa, em que a elite só fica mais rica e os pobres, mais abastados?
A camarotização social, vivida atualmente, é fomentada pelo próprio sistema capitalista vigente e tem sido enraizada desde o Período Colonial brasileiro. Tal Período, traz como um exemplo de sua herança histórica, as políticas governamentais, quase sempre indiferentes às mazelas dos menos favorecidos.
A segregação crescente da elite prejudica até mesmo as relações comunitárias entre as classes e a destruição do princípio do bem comum, fundamental em qualquer sociedade.
A dizimação da estratégia da segregação social dos ricos, portanto, implicaria na volta do verdadeiro convívio social, na identidade comum de cidadãos e, inevitavelmente, na diminuição das desigualdades entre classes. A solidariedade orgânica de Durkheim finalmente pondo-se em prática. Solução esta que, infelizmente, o capitalismo vigente não permite.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    A argumentação, em geral, é pertinente, embora superficial. O candidato "passa" pelos assuntos, não aprofundando na discussão deles. No segundo parágrafo o candidato afirma que o sistema capitalista fomenta a camarotização, mas não explica porque e nem como. A citação do Período Colonial é demasiadamente breve, assim como a ideia de solidariedade orgânica de Durkheim. Observe que do modo como são feitas, as referências e citações não se integram ao texto e não fazem dele um todo orgânico, no qual todas as partes se interligam. No terceiro parágrafo o candidato afirma que a segregação prejudica as relações comunitárias entre as classes, mas o que isso significa? E por que a segregação ocasiona o citado? Falta aprofundamento na redação, ou seja, explanações mais abrangentes acerca do que é tratado no texto e posto como argumento. Atenção para o uso da palavra "abastados", feito no primeiro parágrafo. Abastado significa: quem tem bastante, rico, farto. Era esse mesmo o sentido que se pretendeu dar à palavra no contexto da redação? A proposta de intervenção sugere "a dizimação da estratégia da segregação social dos ricos", mas o que isso significa em termos de ações práticas? Como isso seria feito? Por quem? E o conceito de solidariedade orgânica, o que significa? Como auxiliaria na resolução do problema? A proposta de intervenção deve ser pensada como um processo que responda as seguintes perguntas: O que deve ser feito? Quem deve fazer? Como deve ser feito?

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás