Título da Redação: Muralha salarial na democracia brasileira.

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por Peter Parker


A história da democracia começou na Grécia clássica e se estende até os atuais dias. Claro que ela mudou, evoluiu, ganhou novas caras e características. Falar hoje em um governo não democrático é com toda certeza causar espanto e repúdio em cada cidadão que diretamente ou indiretamente preza por seu direito de liberdade e igualdade.
Sabemos que vivemos em um regime democrático, não perfeito, cheio de falhas mas ainda sim a ideia de demo kratos perpetua em nosso cotidiano, mostrando-nos que o poder sim é do povo que labuta com garra e compõem a maioria.
Mas um fato vem crescendo em nosso espaço sociocultural, e esse acontecimento vem causando rachaduras em nossos ideais igualitários.
O Brasil vem sofrendo um processo de segregação salarial. Ambientes públicos como praças e parques ecológicos no qual antes famílias estendiam toalhas e gargalhavam pelo clima único de um piquenique se encontram hoje praticamente desertos. Hoje bibliotecas e teatros são restritos a uma parcela minoritária de nossa sociedade, e os espaços destinados a nossas relações sociais são os imperiosos shopping´s centers destinados a uma parcela de nossa população. É a cultura do rico aqui e o pobre lá. Se você detém um poder aquisitivo, parabéns você pode se socializar.
Direcionar a causa desse separação iminente em que vivemos é uma tarefa difícil. Podemos citar a globalização, as relações capitalistas cada vez mais fortes etc. Mas citar o ponto das ações públicas é fundamental, uma vez que elas investem de forma fragmentada o dinheiro que deve ser para o bem comum. Enquanto alguns espaços florescem, outros são esquecidos e colocados na sombra de uma árvore seca. Políticas de investimentos não devem ser restritas, devem ser espalhadas, tornando o público sinônimo de qualidade e igualdade, quebrando essa corrente de ostentação que vem nos separando cada dia com mais pujança.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    O tema só é abordado de fato no quarto parágrafo, no qual o candidato sugere que irá discutir a segregação salarial, mas acaba desembocando a argumentação para a segregação física em lugares como parques e teatros. O candidato mantém a argumentação na superfície do texto, falta aprofundamento. É necessário atenção ao uso de expressões coloquiais como "É a cultura do rico aqui e o pobre lá", que dão um tom de oralidade não desejável ao texto. O candidato deve atentar também à "conversa" direta com o leitor, como no trecho: "se você detém um poder aquisitivo, parabéns você pode se socializar", que aproximam autor e leitor, e em se tratando de um texto formal deve ser evitado. Além disso, o que significa dentro do contexto a frase: "Enquanto alguns espaços florescem, outros são esquecidos e colocados na sombra de uma árvore seca"? A proposta de intervenção está vaga. Quais "políticas de investimento" estão sendo abordadas? Quais as medidas e quem deve toma-las para espalhar tais políticas?

  • Enviado por Luize Santos

    Pontos fracos: A tese está ausente na introdução . O título não condiz com o tema. No desenvolvimento a expressão '' não perfeito, cheio de falhas '' está em excesso. No seu texto existem inúmeros erros gramaticais como em ''É a cultura do rico aqui e o pobre lá. Se você detém um poder aquisitivo, parabéns você pode se socializar.'' Tente não utilizar expressões como '' etc'' porque isso indica falta de objetividade.Os argumentos precisam ser mais concisos e selecionados. Esta parte da conclusão não se inseriu muito bem no texto '' Enquanto alguns espaços florescem, outros são esquecidos e colocados na sombra de uma árvore seca.''. Pontos fortes: A introdução com alusão à Grécia Antiga ficou interessante , tente estende-la pelo restante da redação. A proposta de intervenção está presente , embora de acordo com o senso comum.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás