Título da Redação: miscigenação da sociedade casa grande

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há quase 2 anos por usuário anônimo.


A “camarotização”atribuída a separação entre diferentes classes sociais, apresenta uma semelhança com “Casa Grande e Senzala”de Gilberto Freyre. No entanto, mesmo que buscando tornar a sociedade igualitária, ainda, mantêm -se a ideia de elitização. Assim, levando em consideração que não se trata somente da divisão de classes, mas também de um passado histórico.
Mesmo que não comparada a época da escravidão no Brasil, a divisão por cor, como também, por classe social está presente até os dias atuais. Por consequência, o novo Apartheid, agora social, relaciona a divisão de espaço contribuindo para a segregação. Como exemplo, o próprio camarote em show e casas de festa em que ocorre a divisão conforme o preço do ingresso, atenuando a ideia de elite.
Desse modo, a separação no convívio social está presente desde o ambiente de trabalho, com a invisibilidade que é atribuída ao funcionário da limpeza, como também, no transporte aéreo que é dividido por classes. Ainda que, antigamente, ocorria a mesma situação correlacionada a cor, como na época da casa grande e senzala. Logo, fica evidente que mesmo com a procura da igualdade o peso da história da colonização do país esta presente até hoje.
Em suma, relacionar o fato histórico de Gilberto Freyre com os dias atuais, faz com que pareça exagerado, mas a camarotização veio dessa divisão por “poder”. Dessa maneira, é necessária a intervenção do Governo, em garantir uma valorização dos direitos e a busca pela melhora na condição de vida da classe baixa. Como também, a melhora no investimento das escolas, transporte e no sistema público, desvencilhando que os serviços privados são melhores.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Heloisa Ribeiro Rodrigues

    Ei, aluno. Tudo bem? Você teria apresentado um bom domínio da modalidade escrita da língua, não fossem os erros graves e recorrentes que o comprometeram diretamente, tais como: o mal uso de vírgulas, bem como de pontuação, em geral, uma paragrafação ligeiramente desarmônica, acentuação, certa confusão no emprego de conjunções, preposições, artigos e crase, a presença de colocações repetitivas, fracas ou inapropriadas, orações frequentemente mal formuladas ou mal conectadas entre si e, principalmente, uma argumentação cíclica, fragmentada, pouco embasada, isto é, sem maiores dados concretos ou conteúdos originais próprios ou externos que a dessem um maior suporte e credibilidade, um pouco mais sucinta que o ideal e construída sob uma linguagem bastante limitada, previsível e, por vezes, equivocada ou confusa. Para reverter essa situação e ressaltar mais os seus pontos positivos, disponha-se a escrever mais, a desenvolver e aprofundar mais os seus pontos de vista - de maneira mais elaborada, original e menos afobada - e a diversificar e amadurecer a sua escolha de recursos coesivos e lexicais, de modo que a sua redação se torne mais organizada, enriquecedora, completa, fluida e refinada. Além disso, a sua conclusão deixou a desejar, visto que não apresentou propostas mais específicas e detalhadas de intervenção ante a problemática do tema. Elabore-a mais, seja menos vago, pois a mesma constitui a pontuação de toda uma competência. Estude os pontos mencionados, continue praticando e acredite no seu potencial. Grande abraço, Heloisa.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás