Título da Redação: Brasil: um país democrático ou ‘’camarotizado’’?

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há quase 3 anos por Danilo Arruda


A ‘’camarotização’’ da sociedade brasileira não é um processo atual, mas sim, gradual. É um processo que data desde os tempos em que o Brasil fora colonizado, no qual se teve início e propagação através do sistema de escravidão. Todavia, será se essa espécie de ‘’camarotização’’ da sociedade sofreu mudanças ou ainda permanece a mesma nos dias atuais?
Antigamente a segregação de classes ocorria por cor de pele, por raça, diga-se assim. Enquanto que hoje em dia, a mesma ocorre ainda por cor de pele, mas também ocorre por renda, ‘’status social’’, escolaridade, bairro, idade, sexo, escolha partidária dentre outras tantas. Ou seja, percebe-se que o distanciamento entre níveis sociais só veio a se atenuar através do passar do tempo, onde percebe-se um aumento de fatores que se comportam como divisores sociais. Pode se observar tais divisões até mesmo em uma mesma comunidade, uma rua por exemplo, onde pessoas, apesar de conviverem em um mesmo ambiente, em um mesmo contexto social, se sentem separadas, se sentem como pertencentes a sociedades opostas, seja devido a fatores sociais, econômicos, raciais, políticos ou outros. Sabendo-se disso então, por que será que sentimentos como esse de distanciamento ocorrem?
Esse sentimento de não pertencimento a determinada comunidade ocorre devido ao fato de que na sociedade contemporânea existe uma espécie de supervalorização do privado em detrimento do público. Tanto é que no senso comum há a ideia de que tudo que é pago é melhor ou superior àquilo que de certa forma é dado de ‘’graça’’. Por exemplo: grande parte da sociedade brasileira considera que escolas privadas se encontram em um nível acima em relação às escolas públicas. Utilizam como argumento a ideia de que devido ao fato de serem pagas, há melhores professores, uma melhor estrutura e um melhor aprendizado por parte dos alunos. Porém, não é isso que os indicadores afirmam. Segundo dados do MEC (Ministério da Educação), através do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), pode se observar uma média de notas bastante similar em uma mesma cidade, confrontando-se alunos da rede pública contra alunos da rede privada, o que sugere que na realidade não há um superior a outro, mas sim, há um ideal imposto pelo senso comum aos indivíduos, de que uns sempre serão melhor que outros.
Portanto, percebe-se que a causa da separação da sociedade em estratos sociais está, de fato, enraizado na mentalidade dos indivíduos. Dessa forma, o governo para minimizar a separação entre classes poderia, junto à mídia, veicular campanhas de conscientização das massas, procurando evidenciar que diferenças entre indivíduos existem e que sempre vão existir, demonstrando assim que deve-se haver um respeito mútuo entre todos. Só assim, mediante uma ação conjunta entre mídia, governo e indivíduo poderá se obter uma maior aceitação e respeito quantos às diferenças individuais existentes, e que só assim o Brasil poderá realmente ser considerado um país democrático, e não ‘’camarotizado’’.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ana Flávia Amorim

    Caro aluno, sempre quando usar um argumento verifique se seu texto explica-o. Por exemplo, você faz relação entre camarotização e “sistema de escravidão”, mas não fala da ligação de uma coisa com outra. O mesmo acontece quando você fala de “ cor de pele, mas também ocorre por renda, ‘’status social’’, escolaridade, bairro, idade, sexo, escolha partidária dentre outras tantas”, faltou também explicar o que é a camarotização na sociedade e qual a relações. Ficamos nos perguntando se esse termo quer dizer apenas segregação. Depois dessa última frase acima você escreve: “Ou seja” e fala apenas de níveis sociais, entretanto você tinha falado de outros aspectos sem ser os sociais como idade, cor da pele etc. Nesse segundo capítulo você acaba repetindo o que falou no primeiro, sobre as divisões.Faltou você abordar o tema de forma mais direta. Quando você usar siglas use depois do nome por extenso. Exemplo: Ministério da Educação (MEC ), através do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), ok? Você finaliza sua introdução com a seguinte frase: “Todavia, será se essa espécie de ‘’camarotização’’ da sociedade sofreu mudanças ou ainda permanece a mesma nos dias atuais?” . Então esse parece ser o tema de sua redação. Porém, você aborda outros problemas, como a segregação e a valorização do público e do privado. Faltou você delimitar melhor um tema. Seu texto deve discorrer sobre um assunto, defender um ponto de vista relacionado a esse assunto e ter uma proposta de intervenção referente também a esse assunto. Dessa forma o texto fica coerente e com uma argumentação sólida. Na proposta de intervenção você fala mais de respeitar as diferenças do que propriamente do seu tema. A proposta de intervenção é de extrema importância no Enem, existe um tópico só para avaliar esse ponto. Então escreva-a com muito cuidado, relacionando-a com o seu argumento. Sua proposta será bem avaliada se você tiver relacionado-a com seu tema e se tiver sido criativo, apresentando uma proposta inovadora e detalhada.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás