Título da Redação: Brasil: um país de poucos?

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por usuário anônimo.


Na base da sociologia,século 19, Karl Marx afirmou que a divisão de classes representa-se em um ciclo interminável. As classes mais abastadas são constantemente exploradas por quem mantém o acúmulo de lucros e de propriedades. Já no século 21,a tendência de concentração de riqueza é ainda maior. A luta pela democracia, a busca pela igualdade, é totalmente falha em frente à segregação desses níveis sociais.

Cresce a cada dia o fenômeno da "camarotização", isto é, a separação física por condições financeiras. No Brasil, a ocorrência da desigualdade entre os estratos é fruto do colonianismo latifundiário e escravista. A união das grandes forças econômicas com a falta de políticas públicas tornou intransponível a quebra do ciclo de Marx.

Hoje, nos estádios e aeroportos já existem espaços exclusivos para quem detém de maior poder econômico. Nas cidades, os enclaves fortificados privatizam a vida cultural e isolam seu público dos problemas urbanos.Quanto à assistência pública,como as escolas e hospitais, as melhores condições são oferecidas a quem tem possibilidade de pagar pelo serviço.

Faz-se necessário a atuação de ONG's na promoção dos direitos das minorias e na luta por salários mínimos adequados. O Governo deve oferecer serviços gratuitos de qualidade e taxar fortemente grandes fortunas. É de suma importância a diminuição dos abismos econômicos, mas especialmente, a busca de cada cidadão pelo bem comum e a convivência socio-cultural. A defesa da democracia deve estar em detrimento a qualquer exploração relacionada à concentração de renda.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás