Título da Redação: Brasil o país da desigualdade

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há quase 3 anos por usuário anônimo.


Por morar em uma cidade pequena no sul de minas gerais, não convivo dia a dia com a desigualdade social, um grande problema que até hoje só conheço pelos jornais, já que por aqui quase todo mundo vive com a mesma renda, na vida humildade, simples, mais com o necessário para não se passar fome ou até mesmo ser um morador de rua.
Fiz uma viagem para casa de meus avós em São Paulo para passar as férias e matar a saudade que estava deles, de começo fiquei super animada, passar um mês em uma cidade grande, que é assim que chamamos aqui, era o motivo dos sonos que perdi nos últimos dias, a ansiedade ja me tomava conta e foi assim até chegar lá.
Dizem que a primeira impressão é a que fica, e para minha supresa de cara a decepção já veio a tona.
Do alto da casa de meus avós, que moravam em um bairro simples, era quase que inevitável não se perceber o lado "rico" e o "podre" da cidade.
De um lado haviam casas enormes, pedios, centros comerciais, condomomínios e mansões, tão luxuosas que não te dá vontade de nunca parar de olhar.
E ao longo da viagem foi assim, encontrei pessoas nas ruas enquanto outros tinham mais de 10 casas para se morar. E percebi também que para quem estuda em escola pública, depende do SUS , e até mesmo pensa em se divertir sem tem o que gastar, saúde, educação, segurança e lazer são palavras inimigas.
Para eles parece tudo normal, quem é bem sucedido é feliz na vida, e quem não tem nada é como lixo que todos vêem mais ninguém faz nada em questão.
Todos somos iguais perante a Deus, e por isso temos direitos iguais, mais não é isso o que acontece.
Agora sim posso dizer que esse mundo desigual e repartido não é para mim, não é clichê dizer que o Brasil é o país da desigualdade e de uma sociedade materialista.
Espero um dia poder voltar e ver uma realidade totalmente diferente, poder da um depoimento de orgulho e não de decepção desse país.
Ficou claro para mim que o Brasil é um país rico de um povo pobre.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    Em se tratando de textos formais como o tipo dissertativo-argumentativo (normalmente pedido em redações), é preciso evitar o uso da primeira pessoa, que pessoaliza o texto. A redação está toda em primeira pessoa, e o candidato se vale de suas experiências e de sua vida pessoal, o que também não é recomendado, visto que em textos formais deve haver distanciamento entre o autor e o texto de modo a manter a impessoalidade e a formalidade. A redação pode se encaixar em outros gêneros (narrativa, crônica, relato, diário), mas não corresponde ao tipo textual requerido: dissertativo-argumentativo. Além disso, o tema é tangenciado. Discute-se desigualdades sociais, mas não há reflexão acerca da separação física entre as classes sociais, proposta no tema. No mais, não há na redação uma proposta de intervenção que contribua para a resolução do problema abordado.

  • Enviado por Ahr Nould CHuá zé né Gué

    Olha, seu texto seria perfeito se for incluso no gênero de Crônica, mas se tratando de dissertação-argumentativa, que é cobrada pela maioria dos vestibulares, inclusive ENEM, seu texto não segue tal estrutura, por não apresentar argumentos concisos, marcas de pessoalidade e oralidade etc. :)

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás