Título da Redação: Ascensão social e o desprezo de quem ganha mais

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por debs


No Brasil cada vez mais vem crescendo o fenômeno “camarotização” e o mesmo vêm apresentando consequências sociais, econômicas e políticas. Nota-se que há uma tendência na sociedade de separar o pobre do rico em diversos locais, como shows, estádios, escolas etc.
Percebe-se que houve uma mudança social e econômica no Brasil ao longo dos últimos anos. Tal mudança fez com que a classe mais baixa tivesse acesso a regalias consideradas de rico, como viajar de avião, comprar eletrodomésticos como máquina de lavar e TV LCD, e mais dinheiro para o lazer. Dessa forma, o apartheid social ficou mais intenso, a fim de estabelecer quem tem mais dinheiro, criando serviços exclusivos para quem ganha mais. E assim surge a “camarotização”.
A “camarotização” traz consequências para além do lado social, como na economia e política. O combustível do capitalismo para manter a si mesmo é o dinheiro, e as pessoas estão cada vez mais dispostas a pagar mais caro para ter um atendimento diferenciado. Exemplo disso é o preço gritante das escolas que apresentam melhor desempenho no vestibular. Além disso, no âmbito político, como pôde ser observado na eleição presidencial de 2014, há novamente um embate entre direita e esquerda, tal como sua formação original na Revolução Francesa, em que infere-se um ideia de “partido que defende pobre” e “partido que defende rico”.
Devido às consequências apresentas anteriormente da “camarotização” da sociedade brasileira, espera-se que os serviços públicos como SUS, escolas e transporte sejam priorizados, garantindo boa qualidade a todos, assim como na Constituição Federal Brasileira, e para que ocorra uma homgeneização do povo brasileiro erguendo-se pontes, e não muros, garantindo a verdadeira democracia.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    O candidato demonstra, em geral, bom domínio da modalidade escrita padrão da língua e da tipologia textual. Atenção, entretanto, para o uso equivocado da expressão "o mesmo", usada como retomada para o fenômeno de camarotização no primeiro parágrafo. A argumentação é pertinente, embora o candidato deva atentar-se para a contradição nos argumentos, já que no segundo parágrafo aponta para uma aparente melhoria na vida das pessoas de baixa renda, que o candidato afirma fortalecer o apartheid. A proposta de intervenção é exequível, faltando, entretanto, detalhamento.

  • Enviado por David Moreira

    A estrutura textual agrada bastante e a riqueza do vocabulário também, contudo acho que você pecou um pouco na estruturação dos argumentos no segundo paragrafo, ao falar que a classe pobre passou a possuir mais regalias e logo após dizer que isso gera o fenômeno do apartheid, acho que não ficou muito claro onde isso ocorreu. Minha outra sugestão é em relação ao primeira paragrafo, que ficou um pouco pobre em relação a fatos históricos acho legal colocar eles no texto. Enfim faltou dizer como poderia ser feito as mudanças em serviços públicos, não sendo necessário citar todos, apenas alguns estratégicos para a solução do problema. Continue sempre melhorando! :)

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás