Título da Redação: A transposição da barreia socioeconômica

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há mais de 2 anos por Tomás de Aquino


Segundo o químico francês Antoine Lavoisier, "na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". As relações sociais e os comportamentos de uma comunidade, com o tempo, também sofre mudanças. O que se vê hoje na sociedade brasileira é uma segregação de classes, a qual ricos e pobres não frequentam os mesmos locais, provocando um distanciamento e, consequentemente, o aumento das desigualdades sociais.
Primeiramente, é necessário refletir sobre os reais motivos da separação socioespacial entre as classes. Atualmente, a criminalidade é uma realidade na vida dos brasileiros, com a negligência do Estado em propor um combate efetivo a violência, as pessoas se sentem inseguras. Logo, em busca de segurança, elas migram para condomínios fechados e se segregam do resto da população. No entanto, pessoas que não têm condições de comprar apartamentos em condomínios que, geralmente, são caros, não tem outra opção a não ser continuar naquele espaço onde o crime impera.
Além disso, o povo brasileiro, estimulado por um sistema capitalista consumidor, cada vez mais, se vê atraído pela "sociedade ostentação". Nesse contexto, indivíduos abastados, gostam de estar em lugares, igualmente, frequentada por ricos, como restaurantes, shopping's, boates, etc. As pessoas não pagam caro, pelo fato de o serviço desses lugares serem melhor que os outros, muitas vezes é igual, mas sim por ser um ambiente frequentado por ricos. Dessa forma, essa crescente disparidade social, é um problema para a sociedade, podendo causar futuros conflitos entre as classes.
Fica claro, portanto, que o conceito de "camarotização" em sociedade deve a todo custo ser combatido. Para isso, é necessário o apoio da mídia, aproximando as classes através de novelas e propagandas, a fim de promover à união entre essas. Além disso, o fundamental papel da escola, em desmistificar o preconceito social, propondo debates e incentivando o assistencialismo humanitário a pessoas de baixa renda, a fim de, igualmente, transpor essa barreira que separa as classes.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Wesley Nascimento

    Boa tarde! Tudo joia? Minhas impressões sobre seu texto são as seguintes que merecem destaque: bom texto, okay? Você trata do cerne da questão, em que há vários pontos de vista de diferentes naturezas para confirmar sua tese de que a ostentação, a segregação têm uma origem comum, que seria a diferença de classes etc. O texto também obedece ao tipo de texto que o ENEM exige, ou seja, o dissertativo-argumentativo, com proposição, como já mencionei; argumentação, como fica claro por meio dos vários pontos de vista variados; e, então, uma proposta de intervenção que considera o que você discute no texto. Falta, entretanto, levar em conta algo que subjaz a todo esse problema, que seria a distribuição desigual de renda no país. Isso provavelmente é o causador de toda essa tentativa de uma classe querer se distinguir de outra. No mais, atenção aos desvios gramaticais, como o emprego da vírgula.

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás