Título da Redação: A sociedade dividida

Proposta: A “Camarotização” da sociedade brasileira: a segregação das classes sociais e a democracia

Redação enviada há cerca de 3 anos por Lua Yasmim


O idioma é o mesmo, a cultura também verde e amarela, as regras são iguais, as leis são únicas, oque diferencia é o padrão de vida de cada um cidadão, mas não unicamente o valor de sua conta bancária, como também a grife usada da cabeça aos pés e os lugares que esses pés chegam a pisar limitadamente.
A sociedade vem se tornando aquilo que ela tem. Os que tem muito vão a onde quer, tendo financeiramente o espeço que deseja, os que não tem tantos recursos são menosprezado e excluidos pra dar espaço a quem tem.
Essa questão vem trazendo mudanças e regresso em nossa sociedade, em locais públicos o seu conforto depende do que você tem pra gastar, causando assim superioridade e indiferença para os que não podem ficar em áreas VIPs. Essa divisão ocorre no ensino que é onde agem de forma fraudulenta, dando dinheiro por troca de bolsas de estudos em Universidades Federais, enquanto isso, do outro lado da sociedade quem não tem condições sofre injustamente por uma vaga a menos, ou seja, uma chance a menos que pode se tornar mais um ano de muito estudo com grandes chances de ser em vão novamente.
O governo deve se tornar superior a tudo o que governa, ser firme quanto a essas separações, criar e por em prática projetos que unem essas pessoas sem enfrentar essa crise como se fosse algo comum. Esses projetos podem ser a união para pacificar e mostrar que todos tem interiormente o mesmo valor.


Deixe seu comentário

  • Campo obrigatório


Comentários enviados

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    A introdução é incompleta e não situa o leitor acerca do tema abordado, apesar de trazer uma reflexão pertinente. A argumentação é superficial, algumas vezes confusa, e não ultrapassa os textos motivadores da coletânea de modo relevante. Falta interdisciplinaridade. O candidato deve atentar-se em relação a desvios de pontuação, acentuação e concordância. É necessário evitar em textos formais a conversa direta com o leitor (como no trecho: "em locais públicos o seu conforto depende do que você tem pra gastar"), que pessoalizam e aproximam leitor e autor (textos formais devem manter distanciamento). Além disso a proposta de intervenção é vaga. Propõe-se que "o governo se torne superior a tudo o que governa, seja firme quanto a essas separações, crie e ponha em prática projetos que unam essas pessoas sem enfrentar essa crise como se fosse algo comum", mas o que isso tudo significa? Que tipo de projetos o governo deve criar? Por quais meios? Qual o papel de outras áreas da sociedade (escola, família, igrejas, ongs, etc) na resolução do problema?

  • Correção Gratuita
    Enviado por Ariana Lobo

    A introdução é incompleta e não situa o leitor acerca do tema abordado, apesar de trazer uma reflexão pertinente. A argumentação é superficial, algumas vezes confusa, e não ultrapassa os textos motivadores da coletânea de modo relevante. Falta interdisciplinaridade e conhecimento extra de mundo. O candidato deve atentar-se em relação a desvios de pontuação, acentuação e concordância. É necessário evitar em textos formais a conversa direta com o leitor (como no trecho: "em locais públicos o seu conforto depende do que você tem pra gastar"), que pessoalizam e aproximam leitor e autor (textos formais devem manter distanciamento). Além disso a proposta de intervenção é vaga. Propõe-se que "o governo se torne superior a tudo o que governa, seja firme quanto a essas separações, crie e ponha em prática projetos que unam essas pessoas sem enfrentar essa crise como se fosse algo comum", mas o que isso tudo significa? Que tipo de projetos o governo deve criar? Por quais meios? Qual o papel de outras áreas da sociedade (escola, família, igrejas, ongs, etc) na resolução do problema?

Rua 235, Número 294. Setor Leste Universitário. Goiânia/GO. Telefone: (62) 3209 6034

Projeto Redação © 2018 - Orgulhosamente Feito em Goiás