Confira 3 dicas de como fazer uma boa redação para conseguir a nota máxima

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Muitas pessoas acreditam em fórmulas mágicas para escrever um bom texto. Outras simplesmente travam e nada vai para o papel. De fato, saber como fazer uma boa redação não é algo comum. Mas isso não quer dizer que não seja possível. 

Neste artigo, você vai descobrir o que é essencial para construir uma redação nota máxima. Mais uma vez, reunimos para vocês mais do que dicas infalíveis, selecionamos as estratégias fundamentais para planejar e executar um texto argumentativo com excelência!

como fazer uma boa redação: gif do Bob Esponja escrevendo um texto

1. Leia e interprete criticamente a proposta de redação 

Produzir uma boa redação não é apenas pegar uma caneta, apresentar boas ideias e defesas. Um bom texto é aquele que você se prepara para produzi-lo e essa preparação começa com a leitura e interpretação da frase tema e dos textos apresentados na coletânea. 

Antes de darmos o primeiro passo nesse trajeto, é importante termos em mente alguns conceitos para evitarmos alguns erros bobos. O primeiro desvio desnecessário que cometemos é confundir assunto e tema.

É claro que não fazemos isso de forma consciente, cometemos este equívoco justamente porque não paramos para pensar sobre aquilo que foi proposto para análise. 

O assunto é algo amplo, que envolve diversos temas; o tema, então, é o recorte de determinado assunto, é uma perspectiva ou aspecto específico em relação ao assunto. 

Analisando a frase tema 

Nada melhor do que um exemplo para que possamos compreender melhor e mais rápido o que precisamos para fazer uma boa redação. Vamos lá?

Selecionamos um tema de redação da nossa plataforma para analisarmos tudo que precisamos sobre a frase tema e os textos motivadores: Os efeitos da má gestão hídrica no setor energético brasileiro.

Se estivéssemos produzindo uma redação para essa proposta e falássemos sobre questão hídrica de forma geral, estaríamos dentro do assunto, não do tema. Isso porque a frase temática nos apresenta outros três recortes: má gestão, efeitos e setor energético brasileiro

A importância dos recortes temáticos

Então, para que possamos estar dentro do que é esperado pela banca examinadora, sempre devemos nos atentarmos a todas as palavras que estão na frase temática. Caso você deixe uma dessas palavras de lado, a sua redação não será bem avaliada, uma vez que ela não contemplará tudo o que foi proposto para discussão. 

Além disso, analisar atentamente os recortes temáticos, e não deixar nenhum de fora, nos proporciona uma outra vantagem: podemos delinear com mais facilidade o caminho crítico que vamos seguir em nosso texto.

Isso será extremamente valioso para elaborarmos o nosso ponto de vista e, consequentemente, auxiliará no planejamento textual.

No exemplo que estamos usando, quando notamos e analisamos cada recorte temático, podemos perceber que devemos, obrigatoriamente, levar em consideração três pontos para melhor análise do problema central do tema. 

Devemos, então, pensar que estamos discutindo a má gestão hídrica e analisando os efeitos disso para o setor energético brasileiro. Dessa forma, devemos observar três aspectos específicos sobre o cenário:

  • Quais são as falhas em relação à gestão hídrica do país?
  • Por que essas falhas existem?
  • De que forma os efeitos da má gestão hídrica prejudicam o setor energético brasileiro?

Aqui está um segredo para fazer uma boa redação em processos seletivos: caso você não se atente aos recortes temáticos, é até possível escrever um bom texto, mas não será uma redação bem avaliada pela banca por não estar seguindo as condições de produção determinadas. 

Leitura e interpretação crítica dos textos motivadores

Outros erros bobos que podemos evitar são: ignorar completamente os textos motivadores ou atribuir importância excessiva a eles. 

Já notamos aqui que a frase tema é a parte mais importante no nosso trajeto de leitura e interpretação, uma vez que ela determina o recorte do assunto proposto pela banca. 

Portanto, não devemos ignorá-la e partir direto para a leitura dos textos da coletânea, o que é, diga-se de passagem, um erro muito comum de quem não tem estratégia para fazer uma boa redação. Devemos, então, ter equilíbrio na hora de combinar frase temática e textos motivadores.

É importante entendermos que os textos ali apresentados são conteúdos que motivam a nossa interpretação; eles estão ali como suporte para nossa leitura crítica da frase tema.

Pensando nisso, você não deve ignorar a coletânea, porque já interpretou muito bem a frase tema, e não pode acreditar que tudo que você precisa para fazer um bom texto está nos textos motivadores.

A importância do uso adequado da coletânea

Ao contrário do que muitos pensam, a coletânea não pode ser sua única fonte de ideias sobre o tema. Isso porque, caso você faça isso, é bem provável que o seu texto fique limitado ao que a banca já apresentou como problemático, e o que ela quer ver nas avaliações são perspectivas críticas para além do que já foi exposto.

Após a nossa interpretação da frase tema ainda teremos diversas possibilidades de análise em relação ao tema. A banca avaliadora, então, nos auxilia no processo de problematização temática ao nos apresentar, através dos textos motivadores, algumas pistas e possíveis conflitos que se relacionam e nos fazem opinar sobre o que é proposto como recorte temático.

Tendo isso em vista, os primeiros passos para fazer uma boa redação são: identificar e analisar os recortes temáticos da nossa frase tema e depois realizar uma leitura crítica dos textos motivadores, lembrando que não devemos ficar presos às ideias da coletânea, tampouco deixar de lado as problemáticas que ali aparecem.

como fazer uma boa redação: banner divulgando temas de redação do Projeto Redação

2. Faça um projeto de texto para produzir uma boa redação

Uma das palavras de ordem para que a comunicação seja estabelecida com sucesso é: organização. Assim como uma casa, a fim de que seja bem construída, precisa de uma planta, a redação precisa de um planejamento

Já trabalhamos por aqui com alguns passos que fazem parte desse planejamento estratégico: interpretação de frase tema e textos motivadores. Mas está claro que isso ainda não é suficiente para que o nosso texto se desenvolva.

A partir de tudo que realizamos até aqui, várias ideias e relações argumentativas já surgiram, mas essas ainda não foram devidamente selecionadas a fim de que sua defesa esteja, de fato, bem construída. 

Com o objetivo de que nossa redação, então, atenda aos critérios exigidos pela banca avaliadora e consiga alcançar seu principal objetivo, apresentação e fundamentação do nosso ponto de vista, precisamos organizar nossas ideias.

É necessário, dessa forma, a construção do nosso projeto de texto.

O momento da criação de nosso planejamento textual consiste em: selecionar ideias, fatos, argumentos para sustentação da nossa opinião e pensar a relação e disposição (organização) de tudo que foi selecionado.

Elaboração da tese

Ao produzirmos um texto, o nosso foco principal deve ser a função social que ele tem, ou seja, devemos tentar entender as razões que nos levam a produzir determinado tipo de texto. 

Uma dessas motivações é a de persuadir o leitor, convencendo-o de considerar como legítima a opinião defendida pelo autor. Estamos falando aqui do tipo de texto argumentativo. 

Para produzirmos bons textos argumentativos, devemos ter em mente que a principal função é: defender um posicionamento crítico. Logo, ao construirmos um texto dissertativo-argumentativo, devemos apresentar a nossa opinião sobre determinado tema e selecionar ideias e fatos que possam fundamentar o nosso ponto de vista.

Opinião, ponto de vista, posicionamento crítico são termos que definem o que chamamos de tese. É ela a parte fundamental para a existência de um texto argumentativo. 

Sabe toda aquela atenção para analisar a frase tema e os textos motivadores? Pois é, tudo aquilo é uma estratégia para você chegar mais bem preparado(a) para esta etapa de como fazer uma boa redação.

Ao ter interpretado estrategicamente cada elemento da proposta de redação, muitas ideias já chegaram por aí e você já tem em mente o que você gostaria de defender em sua redação. 

Agora é hora de preparar o que será utilizado para fazer a fundamentação da sua tese. 

Estruture os parágrafos argumentativos

Depois de ter em mente qual é o seu ponto de vista, você precisa selecionar e organizar ideias, fatos e fundamentações que serão utilizados para construir os argumentos que farão a defesa da sua tese. 

E para que você possa fazer isso com mais qualidade, é importante, antes de começar a estruturação dos seus argumentos, saber o que um parágrafo argumentativo deve apresentar.

A fim de que você tenha maior autonomia e segurança na hora de preparar a sua argumentação, atenção para o que você deve verificar para ter certeza de que está estruturando um bom argumento.

1. Apresentação da ideia central

Todo parágrafo argumentativo está no seu texto com uma única função: retomar e fundamentar a sua tese. Portanto, você deve sempre se atentar à relação que aquele argumento tem com o seu ponto de vista. E como fazer isso? 

Você selecionará qual aspecto da sua tese será desenvolvido naquele momento para que o seu leitor conheça mais sobre o seu posicionamento sobre o tema. 

2. Análise da ideia central

Depois que você já sabe qual e como a ideia central será apresentada, é hora de escolher qual caminho de análise você vai seguir para desenvolver sua reflexão sobre aquele aspecto. 

Isso quer dizer que você deve escolher qual abordagem crítica você fará em relação ao problema central que está sendo analisado. Você trará uma perspectiva que discuta a causa do problema? Ou será mais interessante trazer uma abordagem sobre os danos daquilo?

3. Fundamentação da análise da ideia central

Uma vez que o seu caminho de análise foi definido, fica mais fácil dominar e desenvolver a etapa que, para muitos, é a mais complexa. Fundamentar uma análise, de fato, não é um processo simples. Mas nada que uma boa estratégia não resolva.

Esta ordem que colocamos para estruturação do seu argumento é a nossa estratégia para você. Ao trilhar o passo a passo: apresentar, analisar e fundamentar, estamos montando para você uma lógica que te permitirá chegar à parte de fundamentação com mais tranquilidade.

Uma vez que você escolheu, por exemplo, falar sobre uma causa do problema que foi selecionado, uma das possíveis, e talvez mais produtivas, fundamentações é trabalhar com os conhecimentos que você tem sobre História. 

Dessa forma, ao fazer referências históricas para explicar a raiz daquele problema, você fundamentará toda a sua linha de raciocínio. Consequentemente, estará comprovando para os(as) seus(suas) leitores(as) que a sua proposição crítica é pertinente.

Logo, aquilo que falamos sobre persuadir o leitor estará, de forma produtiva e estratégica, sendo executado. 

3. Produza e revise a sua redação

Você, que está nos acompanhando até aqui, já notou que, após o nosso passo a passo, escrever o texto já não parece uma tarefa tão difícil. Isso porque tudo o que você precisa para fazer uma boa redação já foi realizado com muito cuidado, pensando nos mínimos detalhes e sempre em alerta em relação à organização.

Até aqui, montando o seu projeto de texto, você já tem a sua tese, quais serão as ideias de cada parágrafo argumentativo, os caminhos críticos que serão desenvolvidos e as fundamentações necessárias para convencer o(a) seu(sua) leitor(a). 

Portanto, escrever a redação não é mais aquela bagunça aterrorizante. Com o projeto de texto pronto, agora é passar para o papel e deixar fluir tudo aquilo que você, estrategicamente, planejou.

O roteiro já está pronto, e mais do que isso, ele está completo, tudo o que você precisa para fazer uma boa redação já está lá.

Releitura e revisão textual

A redação está pronta? Estamos quase lá! Ainda temos mais um passo para fecharmos com chave de ouro esse passo a passo. A fim de demonstrar para os(as) seus(suas) leitores(as) que tudo o que você fez foi feito de forma consciente, é necessário reler e revisar a redação.

Além de corrigir possíveis desvios que cometemos – o que é extremamente normal -, você será capaz de melhorar os contornos críticos de seu texto. Como isso é na prática?

Sabe aquela palavra que pode ser trocada por uma outra para que a sua negação seja mais incisiva? E aquela afirmação que você poderia transformar em uma pergunta retórica para, então, demonstrar maior domínio crítico em relação à lógica argumentativa ali presente?

É isso que você será capaz de fazer ao reler e revisar o seu texto. Além de corrigir aquela vírgula que ficou esquecida, trocar aquele elemento coesivo repetido, será possível deixar o seu texto mais bem elaborado.

Isso contribuirá para uma leitura fluida e, consequentemente, auxiliará no processo de convencimento de seus(suas) leitores(as).

Quer mais dicas sobre como escrever uma redação bem estruturada? Confira o nosso artigo sobre a importância da coesão e coerência para o seu texto!

como fazer uma boa redação: banner divulgando minicurso gratuito de redação para o Enem
Mariana Pacheco

Mariana Pacheco

Letrista da UFG. Educadora por aí. Mestra das redações. Fã das minhas cachorras e de texto bão!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Posts relacionados

Minicurso Gratuito de Redação para o Enem

Garanta o seu acesso gratuito ao minicurso de redação para o Enem 2020.
limitado

Acesse nosso podcast TEMAS COMENTADOS

A cada semana lançaremos um podcast com um tema de redação comentado para você praticar. Rumo à #nota1000